Cuidando das emoções

AMA Hospitalar Waldomiro de Paula promove acolhimento e escuta dos profissionais

 

importante
 
 Auxiliar de Enfermagem Luci na Sala do Serviço Social, decorada com frases de valorização e motivação

 

O cenário de pandemia de COVID-19 que o Brasil e o mundo enfrentam tem impactado a sociedade como um todo, inclusive os profissionais de saúde, que atuam diretamente no combate à doença.

Pensando na saúde mental e emocional desse público, o Serviço Social da AMA Hospitalar Waldomiro de Paula, em São Paulo, implantou um programa de acolhimento aos funcionários. Em uma sala específica, distante da agitação da unidade, as Assistentes Sociais da AMA se colocam à disposição para atender os profissionais que espontaneamente procuram pelo acolhimento.

O atendimento é feito com base em três elementos do Acolhimento Social: escuta, troca de informações e conhecimento da situação em que a pessoa se encontra.

“Neste momento de situação crítica que estamos enfrentando e que não sabemos por quanto tempo, entendemos que é vital agir junto aos funcionários, visando estabelecer um ambiente acolhedor para todos se sentirem uma pessoa de valor, reconhecendo o trabalho e dedicação de todos”, declara Andréia Correia de Morais, Assistente Social.

No espaço, os profissionais têm a oportunidade de compartilharem sentimentos e dificuldades enfrentadas durante o momento de pandemia, seja no ambiente profissional, seja no âmbito pessoal. “A nossa análise é qualitativa, com olhar holístico, vendo o funcionário por inteiro, no ambiente de trabalho e nos demais espaço de convivência, porque suas necessidades, medos, ansiedades se expressam em todo esse universo, que é social”, ressalta Andréia.

“Tenho 48 anos, trabalho há dez na SPDM. Aqui na AMA Waldomiro de Paula somos uma equipe de profissionais abençoados. Nestes 10 anos nunca tinha visto uma doença pavorosa assim. As Assistentes Sociais Débora e Andréia sempre com trabalhos maravilhosos. Fiquei muito feliz em participar deste trabalho. Obrigada¨, declara Luci, Auxiliar de Enfermagem.

 

letras

 Azenaide Braga, Auxiliar Administrativa, na porta decorada pelo Serviço Social 

 
“Eu gostei muito, principalmente porque estamos num momento tão difícil e especial em nossas vidas...Dormimos de uma maneira e acordamos de outra, tendo que usar máscaras e EPI. Então, qualquer forma de acolhimento e carinho para nós profissionais da linha de frente é de muita importância - já que até os abraços são proibidos.  Aquele pequeno gesto de carinho foi inesquecível”, afirma Alexandra Spitz, Médica Clínica Geral.

A equipe teve o cuidado de preparar ainda uma caixa com doces com mensagens bíblicas, que são entregues ao final de cada acolhimento.

“Foi um plantão que eu me surpreendi, estava me sentindo sozinha, frágil e muito sensível, cheguei até a chorar. Deus é tão maravilhoso que mostrou que tudo vem na hora certa. Fui na sala do Serviço Social e tive o apoio da Andréia, fui surpreendida com uma sala bem acolhedora, conversamos muito e no final tive mais uma resposta de Deus num simples bombom, uma palavra poderosa, que até plastifiquei e guardei”, pontua Azenaide Braga, Auxiliar Administrativa.

Segundo a Gerente da AMA, Marília Alves, neste período de pandemia é importante manter um ambiente de trabalho mais acolhedor, onde todos possam desempenhar sua função com segurança e crendo na importância e valor do seu trabalho na Instituição. “Com essa ação, percebemos os funcionários mais confiantes, desempenhando um atendimento seguro e humanizado aos usuários da unidade.  O abraço foi transformado em palavras de conforto, carinho, segurança e agradecimento”, observa a Marília.

A AMA Hospitalar Waldomiro de Paula é uma unidade da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo gerenciada em parceria com a SPDM/PAIS, organização social de saúde