Música para curar a alma

PAI Anhanguera I realiza serenata para idosos em isolamento
 
 
musica
 
Equipe sai às ruas para serenata aos idosos
 
 
 
 
O isolamento/distanciamento social tem sido uma das estratégias utilizadas pela Prefeitura de São Paulo para evitar a proliferação do novo Coronavírus. Nesse cenário, em que familiares e amigos não podem receber nem fazer visitas, quem vive sozinho pode sentir-se solitário e deprimido.

Para evitar esse quadro, o Programa Acompanhante de Idosos (PAI) Anhanguera I lançou mão da criatividade para alcançar os idosos atendidos pelo serviço, e que se encontram em situação de fragilidade clínica e vulnerabilidade social.

Devidamente protegidos contra a COVID-19 com máscaras cirúrgicas, os profissionais realizaram serenatas em frente às casas de usuários. Eu quero ter um milhão de amigos, de Roberto Carlos e Canta canta minha gente, de Martinho da Vila foram algumas das canções entoadas.

Segundo a Coordenadora do PAI Anhanguera I, Viviane Pires, a ação surgiu a partir de monitoramentos telefônicos com os idosos, momento em que foi percebido pela equipe que os usuários demonstraram estar entristecidos, emotivos e angustiados com o momento vivenciado no Brasil e no mundo. “A Equipe se sentiu muito útil e feliz em pode levar alegria, palavras de carinho e acolhimento para dizer que eles não estão sozinhos”, afirma Viviane.

O sorriso no rosto dos idosos e os lábios balbuciando as músicas junto com a equipe demonstraram o sucesso da ação, que os alcançou sem que eles precisassem sair de casa, mantendo-os protegidos do Coronavírus e, ao mesmo tempo, proporcionando momentos de descontração e alegria.

“Os idosos demonstram-se surpresos e se emocionaram durante a ação, além de apresentarem falas diversas como: ‘Não esperava uma coisa dessas, eu adorei ver todos vocês’; ‘Que surpresa boa!’; e “Que maravilha, eu estava me sentindo tão sozinha’”, relembra a Coordenadora Viviane.

O PAI Anhanguera I é um serviço da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo gerenciado em parceria com a SPDM/PAIS, organização social de saúde