Dia D em Perus

Unidades de Perus/Pirituba se mobilizam para vacinação contra Poliomelite e Sarampo
 
 
As unidades de saúde da STS Pirituba e STS Perus, gerenciadas em parceria com a SPDM/PAIS, organização social de saúde, realizaram campanha de vacinação contra Poliomielite e Sarampo, tendo como público-alvo as crianças entre 1 ano e 4 anos, 11 meses e 29 dias de idade. Vale ressaltar que as crianças receberam as vacinas contra a pólio e o sarampo de forma indiscriminada, ou seja, mesmo que a carteirinha de vacinação estivesse em dia. O objetivo foi ampliar os índices de adesão às vacinas e imunizar as crianças que estavam com a vacina em atraso ou com doses incompletas. A meta de imunização tanto para vacina contra o sarampo quanto para a poliomielite foi de 95%, conforme determinação do Ministério da Saúde.
 
Segundo Dr Wagner Fracini, supervisor da STS Pirituba, as doenças infecto-contagiosas sempre foram o grande desafio para a saúde pública. Fracini ressalta a necessidade de permanente vigilância, dados os permanentes riscos de retorno de doenças já controladas ou recrudescimento em novas área, além de reafirmar a importância de manter a cobertura vacinal em níveis adequados.


 Dentre as atividades desenvolvidas durante a campanha, a UBS Taipas organizou ações em áreas de grande vulnerabilidade do território do Jaraguá. Teve Posto volante na área do morro Parque Taipas, posto volante percorrendo o território, busca ativa por parte dos Agentes Comunitários de Saúde nas residências e vacinação na própria Unidade.
 
Para mudar o panorama atual, de que a importância da vacinação na infância não está entre as prioridades da população, a supervisora da STS Perus, Marlene Bueno Sales, ressaltou o comprometimento e a criatividade das equipes de saúde e destacou o trio elétrico da UBS Caiúba, que percorreu o território chamando a atenção dos usuários para a importância da vacinação.
 
dia d
 
 Trio elétrico UBS Caiúba
 
 
O Programa Nacional de Imunizações (PNI), que integra o SUS, é considerado um dos maiores e mais efetivos programas públicos de vacinação do mundo. Porém, a queda das coberturas vacinais nos últimos anos são preocupações atuais. A situação é complexa e muitos fatores relacionados entre si contribuem com o cenário, daí a importância de realizar ações de conscientização e de imunização.
 
Dr Agrimeron, Diretor de Planejamento e Informação em Saúde da Instituição e Médico Sanitarista, demonstra preocupação quando a cobertura não é suficiente, pois durante os anos o número de pessoas não imunizadas aumenta e, a partir daí, é possível o desencadeamento de surto ou epidemia se o estoque de não vacinados for muito alto. Diante desse cenário, a SPDM/PAIS desenvolve ações para o restabelecimento dos níveis de coberturas vacinais satisfatórias, e que resultam em erradicação, eliminação e controle de tantas doenças infecciosas que vitimavam a população, principalmente as crianças.