Plano de ações para o combate à tuberculose

SPDM/PAIS conclui oficinas de planejamento estratégico da região de Vila Mariana/Jabaquara/ Ipiranga
 
 
planejamernyto
Dr Agrimeron Cavalcante, Diretor de Planejamento, e Liane Serra, Assessora de Planejamento, falam aos presentes
 
 
O planejamento em saúde é peça fundamental no que diz respeito à organização dos serviços de saúde para o combate e controle de endemias na população. Para tanto, é necessário conhecer a fundo o território em que se atua, a fim de descobrir quais os principais problemas de saúde que atingem determinada comunidade.

Na SPDM/PAIS, a Diretoria de Planejamento e Informação em Saúde faz essa análise detalhada dos territórios em que a Instituição atua como parceira da gestão pública. Esse trabalho é realizado em conjunto com os serviços de saúde da região estudada, por meio de encontros periódicos – as oficinas - nos quais são realizadas discussões, análises e levantamentos sobre a realidade local.

Nessa etapa, além da avaliação de dados oficiais, há pesquisas de campo nas quais a população é ouvida, com o intuito de captar informações que só são percebidas pela comunidade, e que precisam ser levadas em conta para a assertividade do processo. As relações econômicas, políticas, culturais, históricas e epidemiológicas também são levadas em conta.

Após o levantamento das informações e definição dos problemas em saúde do território estudado, chega o momento de priorizá-los de acordo com alguns critérios, como: potencial epidêmico e endêmico (mortalidade e morbidade causadas pelo problema exposto), os impactos negativos para a população, e os recursos disponíveis.

A construção de uma rede explicativa é a próxima etapa, seguida da identificação dos nós críticos, que são os empecilhos a serem superados para tornar assertiva a construção do Plano de Ações.

A Oficina de Tuberculose teve duração de cerca de um ano, desde os primeiros encontros até a apresentação do respectivo Plano. Trata-se de um compilado com todas as iniciativas a serem realizadas para o controle da doença, os respectivos responsáveis, e os prazos de cada ação - tudo acordado em conjunto durante as reuniões, que contaram ainda com a participação das Supervisões Técnicas de Saúde (STS) de Vila Mariana/Jabaquara e do Ipiranga, e das respectivas Supervisões de Vigilância em Saúde (SUVIS).

No último dia 21, a SPDM/PAIS reuniu os participantes da oficina – Gerentes e Enfermeiros e técnicos das SUVIS, para a divulgação desse Plano, que conta atualmente com 53 ações dentro de 15 categorias diferentes, como Vigilância Epidemiológica; Informação em Saúde; Busca Ativa; e Monitoramento dos Sintomáticos. 
 
 
planejamenti2
 
Público tem a oportunidade de esclarecer dúvidas com profissionais da SPDM/PAIS, da SUVIS e da STS
 
 
Na ocasião, foi proporcionado um momento para a retirada de dúvidas, e foi dado um prazo para que os profissionais avaliem o que está proposto no documento e sugiram possíveis mudanças/melhorias, para que então tudo seja colocado em prática conforme os prazos acordados por todos os envolvidos. “O Plano não se esgota. Ele está apontando uma série de ações, mas na unidade pode surgir a necessidade de acrescentar ou excluir ações”, observa Agrimeron Cavalcante da Costa, Diretor de Planejamento e Informação em Saúde.  “O planejamento estratégico permite que os que pensam também façam, e os que fazem também pensem”, conclui Cavalcante.