Amamentação sem segredos

Hospital Municipal Pedro II orienta mamães de primeira viagem
 
 
mamaenta1
 
Imagem: Jomphong/FreeDigitalPhotos.net
 
 
Apesar de a mídia abordar o tema de forma tão encantadora e fácil, a amamentação tem lá suas dificuldades e desafios, especialmente quando se trata do primeiro filho. Como fazer com que o bebê realize a pega correta da aureola mamária para garantir a sucção do leite de forma adequada, quais as melhores posições para a amamentação – sim, existe uma variedade, e qual o momento correto para introduzir outros alimentos além do leite materno são algumas das dúvidas que incomodam as novas mamães.

O Hospital Municipal Pedro II (HMPII), no Rio de Janeiro, abordou o tema por meio de palestras com as gestantes e puérperas, com o intuito de amenizar a ansiedade das usuárias e incentivar o aleitamento materno, que oferece tantos benefícios para a mãe e o bebê.

Para o pequeno, o leite humano exerce a função de uma vacina natural, prevenindo alergias, infecções, obesidade e intolerância ao glúten. Além disso, o ato de sugar o alimento natural ajuda no desenvolvimento da fala, da respiração e da formação da arcada dentária. A fácil digestão e prevenção de cólicas são outros pontos positivos oferecidos pelo leite materno.
 
 
amamenta2
 
Mamães participantes da palestra
 
 
Quanto à progenitora, o ato de amamentar minimiza o risco do surgimento de câncer de mama e de ovário, doenças cardiovasculares e diabetes. A perda de peso também entra para a lista de benefícios.

O cuidado com o espaço e com o momento de amamentar deve ser levado em conta. Escolher um local calmo, se concentrar no que está fazendo, e estar relaxada são dicas importantes, uma vez que o nervosismo da mãe impacta na produção do leite, reduzindo-o.

A palestra contou ainda com informações sobre os riscos da amamentação cruzada – quando uma mãe amamenta o filho de outra pessoa. Essa atitude, apesar de parecer uma gentileza, não é recomendada pelo Ministério da Saúde, uma vez que o bebê corre o risco de contrair doenças infectocontagiosas, inclusive a AIDS.

Cerca de 20 usuárias participaram da explanação e tiveram a oportunidade de tirar dúvidas e compartilhar experiências pessoais com as demais participantes.

Para saber mais sobre o assunto, clique aqui.